voltar 

Fontes Bibliográficas

1. BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente – COMANA. Resolução CONAMA nº 003 de I5 de junho de 1989. Estabelece padrões de qualidade do ar. Publicada no D.O.U, de 25/08/89, Seção 1, Pág. 14.713. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res86/res2086.html>. Acesso em: 8 mar. 2004.

2. BRASIL. Conselho Nacional do Meio Ambiente – COMANA. Resolução COMANA nº 274, de 29 de novembro de 2000. Estabelece a classificação das águas doces, salobras e salinas do Território Nacional. Publicado no D.O.U. de08/01/01. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res274/res27400.html>. Acesso em: 8 mar. 2004.

3. BRASIL. Lei n 10.165, de 27 de dezembro de 2000. Altera a Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, define as atividades potencialmente poluidoras sujeitas a cadastramento e fiscalização e dá outras providências. Disponível em: <http://www.legislacao.planalto.gov.br/legislacao.nsf/Viw_Identificacao/lei10.165-2000>. Acesso em jul.2004.

4. BRASIL. Lei n. 9985, de 18 de julho de 2000. Dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza - SNUC, estabelecendo procedimentos, critérios, parâmetros e limites para a criação, implantação, consolidação, uso e gestão das Unidades de Conservação e dá outras providências. Disponível em: <http://planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9985.htm >. Acesso em mar. 2004.

5. GUERRA, A.J.T.; CUNHA, S.B. da (org.). Geomorologia: uma atualização de bases e conceitos. 4. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001. 472p.

6. INDICADORES DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL - IDS: Brasil 2002 / IBGE, Diretoria de Geociências. – Rio de Janeiro: IBGE, 2000. 195p.

7. PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS – PNAD – 2003. Síntese de indicadores. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: < http://www.ibge.gov.br/população/pesquisanacional por amostra de domicílios – pnad>. Acesso em: maio/2004.

8. INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DO EFEITO ESTUFA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Rio de Janeiro: PCRJ, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Fundação COPPETEC, 2000. 104p.

9. MAPEAMENTO PEDOLÓGICO E INTERPRETAÇÕES ÚTEIS AO PLANEJAMENTO AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO. RIO DE JANEIRO: PCRJ, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e EMBRAPA SOLOS / CNPS, 1998.

10. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Anuário Estatístico da Saúde no Brasil - 2001. Disponível em: <http://portal.saude.gov.br/saude/aplicacoes/anuario2001/index.cfm>. Acesso em 14 abr. 2004.

11. MOUSINHO, Patrícia. Glossário. In Meio Ambiente no Século 21: 21 especialistas falam da questão ambiental nas suas áreas de conhecimento, Rio de Janeiro. Coordenação André Trigueiro. 2003.367 p. p. 332-367.

12. MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA. Brasil, 2002. Convenção sobre Mudança do Clima. Ciência da Mudança do Clima. Disponível em: <http://www.mct.gov.br/clima/comvenção/guia.htm>. Acesso em: mar. 2004.

13. RIO DE JANEIRO (Município). Decreto n.º 15.793, de 4 de junho de 1997. Institui a "Lista Oficial das Espécies da Flora e Fauna Ameaçadas de Extinção na Cidade do Rio de Janeiro", e estabelece a criação, através da SMAC, do Programa RIO Diversidade, objetivando a preservação de espécies ameaçadas de extinção, considerando a reconhecida vulnerabilidade destas espécies. Disponível em: <http://www.rio.rj.gov.br/smac/mostra>. Acesso em: 8 mar. 2004.

14. SÃO PAULO (Estado) LEI nº 7.750, de 31 de março de 1992 Dispõe sobre a Política Estadual de Saneamento e dá outras providências. Disponível em: <http://www.sabesp.com.br/legislacao>. Acesso em: 8 jul. 2004.

15. PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO. Edital de pré-qualificação – cp. n 008/2003-SEHAB/HABI P.A. n. 2003-0249.590-4. Disponível em: <http://compras.prefeitura.sp.gov.br/licitacoes/textos/esclarecimentos>. Acesso em 2 mar.2004.

16. SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE. Mapeamento e Caracterização do Uso das Terras e Cobertura Vegetal no Município do Rio de Janeiro entre os anos de 1984 e 1999. 1 ed. Rio de Janeiro, PCRJ. 2000. 75p.

17. SOUZA, Celson Gutemberg. Apostila de Solos. Rio de Janeiro: IBGE – ENCE, 2002. 51p.

18. VOCABULÁRIO BÁSICO DE MEIO AMBIENTE. FEEMA, Rio de Janeiro: FEEMA., 1990.2ª ed. 246 p.

19. CID-10 - Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde. Projeto Metodologia de Avaliação do desempenho do Sistema de Saúde Brasileio – PRO-ADESS – pacto 2003. Definições. Décima Revisão - Volume I. Disponível em: <http://www.proadess.cict.fiocruz.br/index2v.htm> . Acesso em maio. 2004.

20. COMLURB. Acondicionamento, Coleta e Destinação Final de Resíduos de Serviços de Saúde (Lixo Infectante). Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2003. 10p.

21. BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL – BNDES. Efeito Estufa e a Convenção sobre Mudança do Clima. Assessoria Especial de Meio Ambiente. Ministério da Ciência e Tecnologia: Gabinete do Ministro. Coordenação de Pesquisa em Mudanças Globais. Setembro,1999. Glossário, 32-40p.

22. INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS. Glossário de termos, variáveis e indicadores educacionais. DUDATABRASIL - Sistema de Estatísticas Educacionais. Disponível em: <http://www.inep.gov.br/>. Acessado em: maio/2004.

23. GLOSSÁRIO DE INFRAESTRUTURA – G.I.. Disponível em: <http://www.cide.rj.gov.br/>. Acesso em: maio/2004

24. SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÕES SOBRE SANEAMENTO – SNIS. DIAGNÓSTICO DOS SERVIÇOS DE ÁGUA E ESGOTOS – 2001. Anexo C – Glossário. Brasil, 2001. 26p.

25. BRASIL. RESOLUÇÃO CONAMA Nº 005, de 05 de agosto de 1993.

26. DEPARTAMENTO DE TRANSITO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – DETRAN-RJ. Código de Trânsito Brasileiro. Anexo I: Dos Conceitos e Definições. 93-101p. Brasília, DF, 23 de setembro de 1997; 176º da Independência e 109º da República. Disponível em: <http://www.detran.rj.gov.br/_documento.asp?cod=1454>. Acesso em: maio, 2004.

27. VOCABULÁRIO BÁSICO DE RECURSOS NATURAIS E MEIO AMBIENTE. IBGE, Departamento de Recursos Naturais e Estudos Ambientais. Rio de Janeiro: IBGE, 2002. 300p.

28. PLANO DIRETOR DECENAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. Instituído pela Lei Complementar nº. 16 de 4 de junho de 1992 - Dispõe sobre a política urbana do município, institui o e dá outras providências. Rio de Janeiro (Município) – Secretaria Municipal de Urbanismo. Disponível em <http://www.rio.rj.gov.br/web/smu>. Acesso em mar. 2004.

29. DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL – DAC. Glossário do DAC, 2003. Disponível em: <http://www.dac.gov.br/publicacoes/publicacoes.asp>. Acesso em maio, 2004.

30. CELEPAR – COMPANHIA DE INFORMÁTICA DO PARANÁ. Glossário Resumido de Termos Técnicos de Geoprocessamento. Disponível em: <http://www.engesat.com.br/glossario/glossario.htm>. Acesso em 1 mar. 2004.

31. FERREIRA, Claiston Cosme Damião. Clima e Saúde: Doenças Respiratórias do Inverno, em Belo Horizonte. Porto Alegre – RS: IETEC, 2003. Disponível em: <http://www.ietec.com.br/ietec/techoje/techoje/meioambiente>. Acesso em 2 mar. 2004

32. Glossário. Fator Gis (Curitiba) , Curitiba, v. 2, n.5. 1996

33. COELHO, Luiz, NUNES BRITO, Jorge. Fotogrametria Digital. Rio de Janeiro - RJ: EdUERJ, 2007.

34. Portal SIRGAS. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/geodesia/pmrg/faq.shtm>. Acesso em 18 mai. 2016

35. SILVA, E.; RAMOS, L. S.; LOCH, C.; OLIVEIRA, R. Considerações Sobre a Implementação de um Cadastro Técnico Multifinalitário. V COBRAC. Florianópolis 2001, 9 p. .